Bandeira Branca - Tião Carreiro & Pardinho

Vou contar o que eu nunca vi pro sertão e pra cidade
Nunca vi guerra sem tiro e nem cadeia sem grade
Nunca vi um prisioneiro que não queira liberdade
Nunca vi mãe amorosa do filho não ter saudade

Nunca vi homem pequeno que ele não fosse papudo
Eu nunca vi um doutor fazer falar quem é mudo
Nunca vi um boiadeiro carregar dinheiro miudo
Nunca vi homem direito vestir calça de veludo

Eu nunca vi um carioca que não fosse bom sambista
Nunca vi um Pernanbucano que não fosse bom passista
Nunca vi um Paraibano que não fosse repentista
Nunca vi um deputado apanhar de Jornalista

Eu nunca vi um Paulista da vida se 'mar' dizendo
Nunca vi um Paranaense que não esteja enriquecendo
Eu nunca vi um Baiano no facão sair perdendo
Eu nunca vi um Mineiro da luta sair correndo

Nunca vi um Catarinense depois de velho aprendendo
Nunca vi um Matogrossense de medo andar tremendo
Eu nunca vi um gaúcho pra laçar precisar treino
Eu nunca vi um Goiano por paixão beber veneno

Nunca vi um fazendeiro andar em cavalo que manca
Pra fechar boca de sogra não vi chave não vi tranca
Pra terminar meu pagode vou falar botando banca
Quero ver meus inimigos levantar bandeira branca.

Tião Carreiro & Pardinho